terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Eu quis tanto...

Como já disse Caio :"(...)Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado." Eu quis. Mas não pude,porque eu não sou assim. Quando o que me é dado é pouco,eu quero mais. Mais esforço,mais palavras,mais você. Eu sempre quero mais de você. Eu sempre quero você aqui comigo. Sempre quis. Mas parece que não é assim que tem que ser não é? Você mesmo disse,a gente não sabe do futuro,não sabe do amanhã. E essas suas palavras,devo admitir,não foram nada reconfortantes. Eu queria mais,muito mais. Mas eu não queria isso. A incerteza. Eu queria que a nossa única certeza fossemos nós. Eu e você,sempre. Haja o que houver,não importa quantas pessoas passassem por nossas vidas. Seriamos sempre eu e você. Eu quis tanto ser tudo o que você sempre quis. E achei que tinha conseguido. Mas você me confunde. Você não é assim não é? Você é justamente o que eu sempre temi. Você é incerto. E se tratando de incertezas,é fácil ser pego de surpresa. Eu tenho medo disso. Exige muito mais do que eu posso dar. Eu quis precisar de você,mas sem exigir nada,sem fazer você sentir como se fosse uma obrigação. E agora,você não é mais como era. Justamente porque você aparentemente acha que não precisa ser. Eu sinto falta de você,há dois mêses atrás. Agora não me acrescenta nada. Eu quis aceitar o que me era dado. Mas o que você tem me dado é pouco demais. E eu sinto muito. Por mim e por você. Eu sinto muito. Eu quero mais. Talvez mais do que você possa me dar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário