quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

How could you do it?

Hoje eu me sinto perdida. Mais perdida do que nunca estive. Não consegui chorar,não consegui gritar,não consegui nem querer bater em você,como de costume. Nada. Não consegui nada. Tudo o que eu consegui foi diminuir meu tom de voz e sumir com meu apetite. Eu nao esperava por essa. Não mesmo. É como um soco na cara. Um soco na cara pra eu deixar de ser idiota,isso sim! Eu sinto raiva de mim. Quando é que eu baixei tanto a guarda assim? Eu nem vi,eu nem percebi. Sabe o que é pior? O pior é que isso não muda nada sobre o que eu sinto por você. Isso que é o pior. Essa é a maior estupidez. Amar você,é a maior estupidez que eu poderia cometer. Agora eu vejo isso. Eu vejo,mas não muda nada. Aonde quer que você esteja,aonde quer que eu esteja,eu vou amar você. Eu nunca vou esquecer. Até porque,eu não esqueço nada assim tão fácil. E é justamente por isso,por essa minha memória quase que infalível,que não vou esquecer o que você me fez. Essa ferida que você abriu em mim. E dói. Dói tanto,que eu não consigo dizer a ninguém,não consigo explicar,não consigo falar. Você prometeu que iria me fazer feliz. Você prometeu que não me faria mais chorar. Você prometeu. E quebrou todas as promessas. Eu sinceramente esperava que fosse funcionar,que se a gente quisesse mesmo,tudo ficaria bem. Mas acho que eu estava enganada. E agora eu sinto uma dor tão grande,que todos os momentos bons que nós tivemos não conseguem compensar. A única coisa que me ajudaria agora,seria a verdade. Então,o que você tem a dizer? Eu estou tão perdida. Já não tenho nenhuma certeza. Aliás,tenho uma certeza só: Eu não merecia isso.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O que eu posso fazer se eu sinto você correr pelas minhas veias? Você está tão dentro de mim,tão impregnado,que eu não consigo mais tirar. E eu já até desisti,já percebi que não adianta. Você vai sozinho. Quando você achar que deve,você vai sair. Sem nenhuma explicação. Vai simplesmente acontecer. Como acontece com todos. E eu odeio isso.

Eu quis tanto...

Como já disse Caio :"(...)Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado." Eu quis. Mas não pude,porque eu não sou assim. Quando o que me é dado é pouco,eu quero mais. Mais esforço,mais palavras,mais você. Eu sempre quero mais de você. Eu sempre quero você aqui comigo. Sempre quis. Mas parece que não é assim que tem que ser não é? Você mesmo disse,a gente não sabe do futuro,não sabe do amanhã. E essas suas palavras,devo admitir,não foram nada reconfortantes. Eu queria mais,muito mais. Mas eu não queria isso. A incerteza. Eu queria que a nossa única certeza fossemos nós. Eu e você,sempre. Haja o que houver,não importa quantas pessoas passassem por nossas vidas. Seriamos sempre eu e você. Eu quis tanto ser tudo o que você sempre quis. E achei que tinha conseguido. Mas você me confunde. Você não é assim não é? Você é justamente o que eu sempre temi. Você é incerto. E se tratando de incertezas,é fácil ser pego de surpresa. Eu tenho medo disso. Exige muito mais do que eu posso dar. Eu quis precisar de você,mas sem exigir nada,sem fazer você sentir como se fosse uma obrigação. E agora,você não é mais como era. Justamente porque você aparentemente acha que não precisa ser. Eu sinto falta de você,há dois mêses atrás. Agora não me acrescenta nada. Eu quis aceitar o que me era dado. Mas o que você tem me dado é pouco demais. E eu sinto muito. Por mim e por você. Eu sinto muito. Eu quero mais. Talvez mais do que você possa me dar.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

I admit.

Você sabe,eu não posso deixar de ser quem eu sou. Eu já errei,várias vezes. E já deixei que errassem comigo. Eu odeio erros,e odeio admiti-los. No entando,cá estou eu,admitindo isso... Admitindo para ninguém na verdade não é? Só para mim mesma. Mas nem isso eu fazia. Eu odeio errar,e odeio que errem comigo. Mas dessa vez,eu deixei passar. Então,não disperdice essa chance. Faça alguma coisa. Estou me cansando de correr. Não queria repetir a mesma frase que repeti no fim do ano passado. Quando tudo doia. "Cansei de correr,decidi desistir." Até porque,eu não sou de desistir. Me faça correr,me dê um impulso,me faça acreditar. Tome uma atitude.

untitled,again

Nossa! Como me sinto estranha hoje. Eu me sinto mal,me sinto culpada por algumas coisas, e me sinto triste. Me sinto incompleta. Eu ando precisando de um pouco mais de você,sabe? Afinal,eu sou uma garota,pelo amor de Deus! Eu preciso de palavras,sempre. Preciso de muitas delas. E de demonstrações também. A verdade é que nós já não somos iguais,e que antes era muito melhor. Mas era muito melhor da sua parte,não tanto da minha. Parece que você simplesmente... Não sente mais. E isso me dá um medo enorme. Eu nunca faltei com a minha palavra aqui. Eu nunca não deixei claro o que eu sinto por você. Até porque,está escrito na minha testa,não tem como não saber. Agora você... Você era repleto de "meu amor,amor da minha vida,eu te amo tanto..." E agora? Cadê isso tudo? Não sei. Me diga você. Onde está?

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Ela... Eu?

O que será que tem de tão intrigante nela? Porque ela insiste em dizer que é difícil? Bom,ela tem razão. Ela é difícil. O jeito que você fala,o jeito que você a trata,consegue deixá-la satisfeita,pode-se dizer até feliz,ela se sente bem. Um erro,um jeito diferente de falar,a falta de afeição em um dia,a falta de atenção... Tudo e qualquer coisa pode fazê-la insatisfeita,deixá-la brava,irritada,ou até mesmo triste. Ela é dificil. É diferente. Ninguém entende. Intriga. Interessa. Mas só interessa porque é dificil ter. E ela repete,para muitos: "Você me quer,porque não pode ter,eu sei. Se tivesse,se cansaria logo. Não seria lucro,nem pra mim,nem pra você. E não é minha intenção sofrer agora,desculpe." Ela já repetiu tanto isso,até para ela mesma,que ninguém a faz mudar de ideia. Como ela sabe que se cansariam fácil dela,se ela nunca deixa que entrem? Simples. Basta olhar a cicatriz que ela carrega. Agora anda com cautela,e a única explicação dela é medo. Ela é forte,ninguém nega. Mas quando se trata de amor,e de arriscar por este... Ela morre de medo. Tem medo de perder,medo de errar,medo de se machucar. Medo de perder. Medo de se machucar. Ela conhece a dor. Ela é difícil por isso. Ela sabe como é e não quer que se repita. Uma pena,mal sabe ela que não se pode evitar essa dor. Tão inevitável quanto a morte,a dor do amor é quase tão temida quanto,por ela. E tudo que já passou faz ela ser o que é hoje. Não a leve a mal. O de agora ela só deixou entrar porque esqueceu de evitar,e quando viu... Já estava tão dentro dela que não conseguiu arrancar. E sei lá porque diabos ela está apostando todas as fichinhas nesse daí. Está tentando deixar o medo. Mas não é assim que se faz,meu bem,a gente vence o medo aos poucos,baby steps. Bom,ela já se jogou... Será que vai cair? E na queda,será que vai sentir mais dor? Ou será que tem alguém para pegá-la do outro lado? Uma coisa é certa,mesmo se tiver alguém,ela não vai mudar. Difícil,com medo de perder tudo o que ama,achando que é fácil se cansar dela. Mal sabe ela... Ela até que entretem,surpriende... É o que dizem. Ah,mal sabe ela,tudo. Ela vai aprender. Paciência.

(Beatriz Grimaldi,está com uma pequena mania de escrever sobre ela mesma na terceira pessoa)

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Parece besteira,eu digo "deixar rolar". Vai chover se for verdade. Uma idiota. Não é fácil. Em outros casos,é difícil lidar comigo. Afinal,não acho que tenha medo,sem fim,não é? Quando eu gosto de alguém,lá vou eu,me faça acreditar. Sempre fui assim. Não sei o que está errado. Muitas dúvidas,não sei o que pensar. De uma explicação,como eu preciso. Nada que me digam me faz duvidar,não vou mudar de ideia. Eu me sentia desesperadamente apaixonada. Esperando,porque tenho medo. Parei pra pensar... O pra sempre é pra quem? Me encho de esperanças. Eu quis ouvir,porque eu,na verdade,não gosto de dividir. Ser possessiva com pessoas não funcionou.  Eu estou me sentindo tão feliz. Tudo o que eu quero e sempre quis. Mesmo sem tê-lo tocado,me preenchia,quando só precisava ser paciente. Difícil falar de um jeito que você consiga entender. Queria conseguir te abraçar forte. Não se imagina com ninguém,pode jurar,não me deixa ir. Tudo vai mudar,isso me dá medo. Vem com sentimento,tão intrigante,surpriendente. Eu e você,você e eu. Tantas vezes eu quis... Eu te amaria de qualquer maneira.

Sortiando pedaços de frases e palavras na minha agenda...Deu isso. Até que faz sentido,não?