segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Sobre estrelas e a morte,infelizmente.


Eu continuo com meu pensamento infantil sobre estrelas. Sobre a morte,pra ser mais exata. É que pensar que as pessoas viram estrelas que cuidam da gente é melhor. Melhor do que pensar num corpo apodrecendo. É ... É melhor. Porque o fato é que você vai sempre pensar que nunca mais vai ver essa pessoa. Que nunca mais vai poder abraçar,conversar,beijar,olhar ... aliás,mais que olhar,admirar,entende? São pensamentos tristes,por que a morte é triste de fato. Mas,se você se agarra nesse unico pensamento infantil,as vezes,ajuda. São estrelas,que continuam brilhando,só que bem lá no alto. Bem longe. Mas continuam olhando você,e tentando te protejer. Tudo bem que morte nunca vai ser uma coisa que você possa pensar: "poxa,que pena.mas tudo bem,foi legal!" Claro que não! Primeiro você pensa nessa coisa toda de que nunca mais vai ver,e dá um certo desespero. Mas a gente sabe que é a ordem natural das coisas. Então,pra amenizar,dizem pras crianças que nós viramos estrelinhas que olham pelos que ficaram. É uma boa história... Vou continuar dizendo que esses meus amados viraram estrelas,que tomam conta de mim,com certeza. É um pensamento infantil ... mas que me conforta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário