segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Sabe,eu estava feliz. Muito feliz. Por isso mesmo,não disse nada. Porque dizer que está feliz,atrai coisas ruins,eu acho. Não sei por que,mas minha felicidade dura pouco,então,eu tento poupá-la,tento guardá-la ao máximo. Até porque,conseguir felicidade,para mim,é difícil. Eu vou juntando pedacinhos e pedacinhos de coisas boas,ai então,eu me sinto feliz com algo completo. Mas,os pedacinhos quebraram em pedacinhos menores ainda,se espalharam,e eu não consigo enxergar. Está muito escuro.

sábado, 21 de agosto de 2010

Estou tremendo,num lugar frio demais. Impaciente. Escrevendo em um netbook holandes que só tem acento agudo! Eu consigo ouvir risadas daqui. E elas me incomodam,acredita? Logo eu,que sempre gostei de sorrir... Hoje estou especialmente amarga,por qualquer coisa,nao sei que coisa. Mas estou. Estou insatisfeita com o rumo de algumas coisas. Instaisfeita com algumas palavras. E com a falta delas também. Esse lugar sempre me faz pensar,acho que refletir mesmo,sobre voce e eu. Acho que eles tem razao,nós somos mesmo estranhos ... Nao há nada de mal em sermos estranhos em alguns aspectos. Mas em outros,eu gostaria que fossemos normais. Mas nao somos ... Me pergunto qual deve ser o seu problema. Algum problema deve ter,nao é possivel! Mas enfim,voltando ao foco ... Odeio me sentir assim. Amarga. Como se a felicidade alheia me incomodasse. Mas o que eu posso fazer? No momento,realmente me incomoda. Isso deve ser é inveja ne? Inveja da felicidade alheia... que patético! Bem,pra resumir esses sentimentos incomodos : eu me sinto mal,triste,impaciente,insatisfeita,engasgada,sufocada de palavras que se recusam a sair. That really sucks!

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Sonhar demais ...

Estive pensando um pouco demais,como sempre. Eu acho que tenho sonhado demais. Não que isso seja ruim,mas é que sonhar me faz querer cada vez mais. É complicado. Até pensei que o que estou vivendo agora,possa ser um sonho. Um sonho daqueles bons,que com o tempo só melhora. Mas então,eu pensei que talvez seja melhor eu me manter na realidade. É melhor eu não fazer o que sempre faço e criar expectativas demais. Porque do contrário,eu acabaria me decepcionando fácil,como sempre. É melhor viver um dia de cada vez e ver o que acontece. A gente não precisa sonhar com cada passo que dá,não há necessidade. Basta caminhar  devagar,observar o que há a sua volta,e viver um dia de cada vez. É mais fácil,melhor para não se machucar.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Entenda de uma vez por todas que eu te amo. Eu te amo e isso não vai mudar de jeito nenhum. Veja,eu não vou a lugar algum,não vou te deixar. A não ser que você já não me queira mais. Fora isso,não saio daqui. Pode pirar,gritar,chorar... eu vou continuar aqui. Porque eu te amo. Te amo mais que tudo. Mais do que as palavras conseguem dizer,não há como descrever. Por isso,eu não vou te deixar,não mesmo. Podem dizer que sou egoísta,e sou mesmo,mas não posso viver sem esse sentimento. Sem o seu amor. Sem você. Entenda de uma vez por todas que eu te amo e isso não vai mudar,eu não vou te deixar.

Será?

Será que você não precisa de nada? Será que só eu preciso de muito? Eu preciso mais que palavras,preciso de demostrações,ações. E mais do que tudo,preciso de você. Será que você não precisa de mim? Seu jeito de amar é tão estranho assim? Eu não quero cobrar nada de você. Só que eu pensei que seria mais do tipo "dar e receber". É que não adianta o "é você que eu amo" e "meu coração é só seu",se eu não conseguir ver isso. Eu preciso ver as palavras se tornarem algo mais concreto,mais real. Será que é exagero? Será que é exigir demais? Bem,se quer saber,eu não me importo se é ou não exagero. Eu preciso disso e você sabe. E eu também não lhe dou motivos para precisar. Então,será que é pedir demais?
Eu não posso deixar de pensar que fiz algo de muito errado. Porque não mereço ser tratada desta maneira. Tendo minha imensa capacidade de amar,tendo todo meu amor,sendo desperdiçado desta maneira. Só posso crer que algo de errado eu fiz,não é possivel!

(escrito em 14/08/10)

Pacote completo

Infelizmente,ou felizmente,meu amor por você é independente de qualquer um de seus atos inconsientes e de suas grosserias,ou de atitudes que não me agradam. Você não percebeu isso ainda? Acho que o que eu sinto é maior que tudo isso. Então eu simplesmente ignoro o que não me agrada e tento enxergar melhor tudo que me agrada em ti. E é tanta coisa que o ruim eu acabo por esquecer. O fato de algo me incomodar agora não quer dizer que eu ame menos você. Muito pelo contrário. Porque eu te amo por inteiro,com manias e defeitos.

Vício

Eu escrevo sobre dor e eu reconheço isso. Mas também escrevo sobre amor. Talvez seja um vício. Se não,por que todos nós acabamos caindo nesse mesmo assunto? Amor é vício. Até a dor,as vezes,provem dele. Esse sofrimento expressado por palavras,é sim amor. É a desilusão que este nos traz. Que deixa tudo assim meio triste,retorcido. Amor nem sempre é sorrisos,alegrias,ver beleza em tudo,o tempo todo. Como tudo no mundo,o amor tem seu lado obscuro. Amor perdido,amor não correspondido... Amor que acaba? Não,não. Amor quando é de verdade,não acaba. Se torna diferente,é natural. Não há como ser igual ao inicio por muito tempo,afinal,a gente cresce,amadurece. Mas amor que é amor,não chega ao fim. Se acaba,não é amor. É paixão. Sim,isso se chama paixão,é muito mais atração que sentimento,ao meu ver. E paixão não deve causar dor,pode ser apenas uma saudade do que chegou ao fim. É diferente do amor,da dor. Eu escrevo sobre esses sentimentos. Sobre os meus sentimentos. Que com certeza são os sentimentos de alguém por ai. Eu escrevo sobre amor e sobre dor,e reconheço,é um vício.

sábado, 14 de agosto de 2010

Meu bem,agora não adianta mais. Já tentei me convencer,mudar de ideia,de pensamento,de sentimento. Mas não funcionou. Eu amo você,já me rendi,não adianta. E esse sentimento é estranhamente forte,me assusta. Mas eu gosto. Eu já nem ligo pra distancia que existe entre nós. Meu amor,a verdade é que meus olhos só vêem você,parece que todo o resto não tem graça se comparado a ti. O que eu sinto vai além do meu próprio entendimento. Se quer saber,na verdade eu já desisti de entender. Agora não adianta mais. O espaço que eu tenho em mim,é seu. É o seu lugar. E eu,sou sua. Não tem como negar.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Aqueles sentimentos que não deveriam existir .

Ciúmes...Existe coisa mais ridicula? Claro que existe...mas ciúmes deve estar no top 10 dos sentimentos mais ridiculos. O mais ridiculo é o amor,primeiro lugar. Agora,o ciúme é uma coisa horrível! Acho que provém da insegurança. A insegurança gera medo e esse medo gera o ciúme. Pra mim é mais difícil. Eu sou possessiva. E no momento,estou insegura. Insegurança é uma coisa nova pra mim. Ser possessiva com pessoas eu sempre fui,mas nada doentio entende? Só que,o que é meu,é somente meu. Nada demais...não gosto de dividir,só. E acho que ninguém gosta né?! Agora,essa tal insegurança é desgraçada! É que eu nunca sei o que pode acontecer,isso me atribuiu uma paranóia...Ou é só medo mesmo? Medo de perder ... pavor,até. E talvez no fundo todo mundo tenha. Mas eu ... é que já aconteceu. Com todo direito pelo exagero de palavras: Eu estava despedaçada,estava quebrada. Uma loucura. Vai que acontece de novo? Talvez um dia aconteça mesmo. Mas não agora,é o que eu espero. Veja,eu tenho motivos,e muitos,pra tudo isso. Para o ciúme,para o medo/insegurança... Eu simplesmente odeio sentir ciúmes,porque eu nunca gostei de admitir ele. Ou quase nunca. Sei que começo a maltratar a pessoa sem ela saber o porque. Meio maldade né? Só que essa droga de orgulho que eu sempre tive não me deixa nem admitir esse ciúme aí. O medo eu admito,com certeza. Amar demais faz a gente temer. Temer pelo amado,temer por perdê-lo. Talvez seja um sentimento um tanto quanto nobre. Ou admiti-lo o torna nobre? É,deve ser. O fato é, esses sentimentos me pertubam demais. Quisera eu não senti-los. Também adicionaria a dor nos sentimentos que não quero sentir. Porque uma vez ou outra,sempre dói. As vezes mais,as vezes menos. Mas em mim,com todo meu drama...sempre doi! É essa importância que eu dou pra tudo...Mas isso não vem ao caso. Não agora.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Sobre estrelas e a morte,infelizmente.


Eu continuo com meu pensamento infantil sobre estrelas. Sobre a morte,pra ser mais exata. É que pensar que as pessoas viram estrelas que cuidam da gente é melhor. Melhor do que pensar num corpo apodrecendo. É ... É melhor. Porque o fato é que você vai sempre pensar que nunca mais vai ver essa pessoa. Que nunca mais vai poder abraçar,conversar,beijar,olhar ... aliás,mais que olhar,admirar,entende? São pensamentos tristes,por que a morte é triste de fato. Mas,se você se agarra nesse unico pensamento infantil,as vezes,ajuda. São estrelas,que continuam brilhando,só que bem lá no alto. Bem longe. Mas continuam olhando você,e tentando te protejer. Tudo bem que morte nunca vai ser uma coisa que você possa pensar: "poxa,que pena.mas tudo bem,foi legal!" Claro que não! Primeiro você pensa nessa coisa toda de que nunca mais vai ver,e dá um certo desespero. Mas a gente sabe que é a ordem natural das coisas. Então,pra amenizar,dizem pras crianças que nós viramos estrelinhas que olham pelos que ficaram. É uma boa história... Vou continuar dizendo que esses meus amados viraram estrelas,que tomam conta de mim,com certeza. É um pensamento infantil ... mas que me conforta.