domingo, 25 de abril de 2010

Point of view #2


Eu sou do tipo que se apaixona por uma pessoa só. Não consigo essa façanha de gostar de mais de uma pessoa ao mesmo tempo. Quando eu gosto de alguém,eu só gosto desse alguém. Não tenho interesse em mais ninguém. Mesmo que eu tente,não adianta. E não importa aonde essa pessoa esteja,não importa que ela não seja nada minha. Se eu gosto de verdade,nada importa,e ninguém importa. Talvez eu seja um tipo raro de pessoa. Eu não quero estar com mais ninguém,não tenho vontade nenhuma. A unica coisa que eu preciso,é quem eu amo. Não sei se tudo isso é bom ou ruim,acho que depende do ponto de vista.

Point of view ...


É estranho sentir o que eu sinto.É estranho parecer que não existe mais ninguém.É estranho pensar em você o tempo todo.Ainda mais por você estar longe ... e agora eu entendi como distancia é ruim. Isso é uma das coisas que eu jurava que não aconteceria comigo. Eu sempre evitei,justamente porque eu não sei "separar as coisas". É tudo tão estranho. É estranho,mas eu consigo imaginar ... eu e você. Eu quase consigo ver... é estranho. E sinceramente,eu daria tudo pra te ver. Pra te abraçar,pelo menos uma vez. Só pra ter uma lembrança de verdade pra guardar. Alguma imagem pra quando eu fechar os olhos,lembrar. Mas mesmo assim... eu levo você comigo. Talvez tudo seja tão estranho,porque é novo pra mim. Mas eu vou esperar,não custa tentar. Quem sabe eu consiga ser feliz... Eu quero ver o que pode acontecer. Enquanto isso,vou continuar achando estranho,pelo menos um pouco. Eu e você ... estranho,mas bom.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Damned if I do ya,damned if I don't ... what ever


Eu adoro o som do piano e do violino. Adoro o som do violão. Mas amo o som da guitarra. Eu gosto de cantar,mas gosto mesmo é de gritar. Eu gosto de mostrar minha opnião,eu gosto de me impor. Mas não gosto de me expor. Eu odeio errar,odeio estar errada e odeio que me digam isso. E é por isso mesmo que ao meu ver,estou certa. Como todo mundo,eu não gosto de sofrer. Mas eu não suporto mesmo é que sofram por mim. Eu simplesmente odeio chorar,tenho repulsa. Pra mim,é sinal de fraqueza. E eu não quero ser fraca. Eu não quero demostrar algo que eu não sou. Eu gosto de estar perto de quem eu gosto. Eu gosto que gostem de mim. Eu gosto de amar e de me sentir amada. Eu gosto de me apaixonar. Mas só por quem sente o mesmo por mim. Eu gosto de dançar sacudindo a cabeça,eu gosto de pirar. Mas so no momento certo. Eu gosto de aprender,eu gosto de saber de tudo. Eu gosto de falar de mim. E tambem gosto de ouvir sobre você. Tenho medo de altura,mas tenho vontade de voar de asa delta,tenho medo do Fofão desde pequena e até agora isso não mudou. As vezes tenho medo do escuro e sempre tenho medo do que desconheço. Tenho medo de sofrer e de me machucar,so que por dentro. Eu penso demais,em tudo que eu faço e vou fazer,ou pelo menos pretendo fazer. Mas aprendi que pensar demais faz a gente duvidar demais. E acaba fazendo a gente desistir. E eu não gosto de desistir. Leva muito tempo pra me fazer desistir. Eu tenho meus principios e meus valores e nada pode me fazer mudar quanto a ambos. Sempre esperei demais das pessoas. No minimo o mesmo que eu faria por elas. E eu aprendi que é assim que se quebra a cara. Não sei aceitar criticas. Muitas vezes eu sou grosseira e não penso antes de falar. Mas muitas vezes,penso muito antes de falar,pra não machucar ninguém. Eu gosto de abraços,gosto mesmo. Mas odeio ser abraçada quando estou irritada. Tudo depende. Na verdade,eu sou muito complicada. Eu posso ser muito doce ou amarga. Eu nunca seria alguém que eu não sou pra agradar os outros. E até agora,nunca fui uma pessoa de muitos amigos. Talvez por causa disso tudo. Eu não gosto de dizer coisas por dizer. E não gosto de simplesmente acrescentar pessoas na minha vida,pra nada. So pra parecer que eu sou legal. Nunca fiz questão de ser amiga de todo mundo. Sempre achei isso impossivel. Voce sempre acaba sendo falso com alguém,e eu odeio falsidade. Os que gostam de mim com todos os defeitos e qualidades,que nunca me pediram pra mudar,são os que importam. São os que valem a pena. O resto,é disperdicio de tempo. E eu não tenho tempo sobrando pra viver fingindo.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Impaciencia. É a palavra que me define hoje. Especialmente hoje. Não sei porque,mas estou impaciente. Impaciente com o mundo. O mundo que gosta de me irritar. É,o mundo gosta de me irritar,nao sou eu que sou facilmente irritavel. Falta de principios, falta de noção, falta de caráter, infantilidade, injustiça, gente idiota, gente burra ... Não gosto, não tenho paciencia. Nunca tive. E hoje estou pior ainda. Não tenho muita pacienca com as pessoas. Talvez por isso nem todas as pessoas tenham paciencia comigo. Talvez por isso, as vezes, seja dificil conviver comigo.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Just the thought of you can drive me wild,you make me smile.

De um jeito estranho,eu acabei percebendo como você me faz falta. Ficar sem falar com você,pra mim,é horrivel. Parece que tudo fica sem graça. Eu fico sem graça. Parece que quando você não está,não tem motivos para eu estar também. Você me faz falta. E em pouco tempo,eu já ficou louca,querendo ver você. Pouco tempo que parece tempo demais. E é tempo demais.Um dia,já parece muito. Dois dias,é mesmo muito. E três dias ? é a eternindade! E quanto mais eu penso,mais tempo parece ser. Você faz falta,pra me fazer sorrir,pra fazer eu me sentir bem e parecer que eu ao menos faço falta a alguém. Pra me fazer sentir de um jeito que só você faz. Sem você,eu sinto que não tenho ninguém. Apesar de não estar sozinha,sem você,todo mundo é ninguém. E quanto mais eu penso,mais parece que nada tem graça. Quanto mais eu penso,mais tempo parece ser.Quanto mais eu penso,mais eu tenho vontade de dizer ... Eu amo você.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Se quer saber,eu soube antes de você.

De qualquer modo,parece que eu te perderia. Por isso,de qualquer modo me machucaria. Insegurança é uma droga! Incerteza é uma droga! Como eu posso ter certeza de tudo? Como eu vou saber se está certo,se tudo isso é verdade? Porque sempre parece que não sou eu. E as vezes parece que não vai ser. Eu sempre achei que substituir fosse um jeito mais fácil de esquecer. Mas acho que isso não funciona com você. Talvez você precise de mais tempo. Tempo que eu não consigo te dar. Eu nunca fui muito paciente,eu nunca precisei ser. Todo mundo sempre precisou ser paciente comigo,mas eu nunca tive que ser com ninguém. Talvez tenha chegado a hora de mudar isso... Eu só não quero perder meu tempo aqui. Eu sinto que estou parada,com os pés grudados no chão. Meio tonta,esperando tudo parar de rodar,esperando tudo ficar no lugar. Esperando alguém que possa me ajudar. Alguém que faça essa chuva parar. E sinto que a cada minuto,eu fico mais impaciente. Vontade de desistir... então penso duas vezes. É melhor não. O que é mais um tempo na chuva para quem está lá há meses? Paciencia... Espero chegar em algum lugar com isso. Espero me encontrar. Espero ter certeza de algo. Porque agora,eu não sei mais de nada. Não tenho certeza de nada. Eu só ... não quero me machucar de novo. Mas parece impossivel não é ? Dizem que é assim mesmo,sempre acontece. Talvez eu que não esteja acostumada. Talvez eu que não saiba lidar com isso. Bem,de qualquer modo,parece que eu te perderia. Insegurança,e incerteza ... é uma droga mesmo! Eu nunca fui boa com meio termo. Pra mim é sempre quente ou frio,nada de morno. Ou sim,ou não,nada de talvez. Ou sou eu e você,ou sou só eu e mais ninguém.

E lá vou eu com as minhas teorias... talvez eu esteja ficando louca (ou mais louca). Talvez não. Quem sabe?

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Eu vejo tudo a minha volta,eu vejo aqui o teu olhar .


Talvez eu tenha pensado em mudar,mas percebi que não valeria a pena .Talvez eu tenha pensado em desistir,mas tenha mudado de idéia,por você. Talvez eu tenha esquecido de pensar em mim. Não sei porque,agora eu só penso em você. O que será que você tem de tão ... impressionante? Não sei. Ainda penso tudo que pensava antes. Mas,quando você está aqui,me faz esquecer disso por um tempo. E depois eu lembro de tudo. Ai,eu volto a pensar,que deveria mudar,que deveria desistir e que deveria esquecer. E ai,penso mais uma vez,que não é isso que eu quero fazer. Então eu continuo parada,no mesmo lugar. Tão perdida,tentando me achar. Faz tanto tempo que não me sinto assim. Não acho isso tão ruim. Talvez seja melhor do que não sentir nada. Eu senti um vazio durante tanto tempo,que acho melhor me sentir assim. O vazio é algo estranho,algo que consome você. Não é uma sensação boa. O que eu sinto,também não é uma sensação completamente boa. Eu tenho meus momentos. Mas como eu disse,é melhor do que não sentir nada. É melhor do que não ter nada em que pensar. Aliás,pensar é o que eu mais tenho feito. Já pensei,pensei e pensei. Eu respirei,tentei entender,tentei não me perder. Não me perder mais do que já estava perdida. Deu certo ? Acho que não. A verdade é que não adianta pensar muito no certo e no errado. Não adianta pensar demais nas coisas. Essa é verdade,pensar demais,faz mesmo a gente desistir. Eu aprendi isso,sozinha. Assim como,eu aprendi que tenho que parar de botar defeito nas coisas que parecem estar bem. Mas isso,é outra história...